ARTIGOS

Igreja Presbiteriana do Brasil pune pastor por deixar mulheres participarem de rituais da igreja

 O Presbitério Brasília Sul adotou práticas ultraconservadoras para retirar um pastor da igreja Presbiteriana do Lago Sul de suas atividades religiosas. Ao tomar atitudes consideradas simples para os tempos atuais o pastor... foi punido. A instituição é vinculada a outra igreja, que funciona no Instituto Mackenzie. 

 
Depois de permitir que um casal realizasse a liturgia com taças durante a comemoração do casamento foi um dos motivos para o pastor ser afastado pela cúpula da igreja. O outro motivo pelo afastamento do religioso é ainda mais assustador em um cenário de luta pela participação da mulher nos diversos setores da sociedade: o pastor sofreu críticas após ter permitido uma mulher a fazer pregação na tribuna da igreja.
 
No primeiro caso, o pastor recebeu auxílio da esposa de forma simbólica durante um ritual de casamento. Ainda em pleno século XXI a Igreja Presbiteriana do Lago Sul encara como irregular uma mulher auxiliar pastor em qualquer cerimônia religiosa?
 
O segundo contexto de punição ao pastor é ainda pior, o impedimento da livre manifestação feminina e a conduta fere até cláusulas mínimas dos Direitos Humanos.  O pastor recebe processo disciplinar e afastamento de suas funções ao permitir que uma mulher realizasse pregação durante um seminário voltado para mulheres na própria Igreja Presbiteriana do Brasil do Lago Sul. Na visão dessa igreja protestante em especial, as mulheres devem ter autorização prévia de um homem para poder fazer uso do púlpito, além de não autorizar a ordenação de mulheres, defendendo a submissão feminina em relação ao homem.
 
Nos grupos educacionais a filosofia de ensino deve ser semelhante, com foco na submissão feminina perante ao homem, seguindo os trâmites da Igreja Presbiteriana do Brasil. As mulheres da Igreja e as estudantes podem não possuir liberdade para opinar e até se manifestar. Ao tentar quebrar essa barreira, o pastor recebeu restrições de ministério pelo Presbitério Brasília Sul.
 
Precedentes
 
O pastor afastado se baseou em fatos anteriores para permitir a participação de mulheres nas ocasiões citadas pela reportagem. Na Igreja Presbiteriana de Brasília, por exemplo, uma mulher pregou para o público. A ministração foi de uma Pastora da Igreja Anglicana que falou para o público presente e os responsáveis não foram punidos. 
 
A Igreja Presbiteriana do Brasil não se pronunciou sobre o caso até o fechamento dessa matéria.