POLÍTICA

Ireuda diz que violÍncia contra mulher ť problema histůrico

A presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara Municipal de Salvador, vereadora Ireuda Silva (Republicanos), palestrou no evento sobre ações afirmativas para o enfrentamento à violência doméstica, na tarde de terça-feira (31/8/2021). A atividade foi realizada pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher e pela Secretaria de Políticas para Mulheres de Salvador (SPMJ), no Centro de Cultura da Câmara.
 
O evento marcou o encerramento da campanha “Agosto Lilás”, que tem como objetivo alertar para esse problema que vítima e tira a vida de milhares de mulheres todos os anos. Também compuseram a mesa a juíza Andréia Mara, representeando a desembargadora Najila Brito; Fernanda Lordelo, titular da SPMJ; Fernanda Cerqueira, diretora da SPMJ; Márcia Teixeira, promotora; e as vereadoras Marta Rodrigues (PT), Maria Marighella (PT) e Roberta Caires (Patriota).
 
Em sua fala, Ireuda ressaltou que “a violência contra a mulher não é um problema atual, mas histórico. A estrutura machista não foi construída agora. É vergonhoso o Brasil ocupar o 5º lugar no ranking de violência contra a mulher”.
“Apesar de estarmos no fim do Agosto Lilás, queremos que o espírito da campanha dure o ano inteiro. Estamos apenas encerrando um ciclo. E não estamos aqui para comemorar. Vamos sair daqui com a consciência do que viemos fazer aqui”, disse Ireuda.
 
“A violência doméstica, que acontece num contexto de conflitos familiares, é um dos principais problemas sociais que enfrentamos atualmente. Além disso, pode levar a um final mais trágico, como o feminicídio. As vítimas mais comuns desse tipo de crime já vinham sendo agredidas durante um longo período anterior. Por isso, sempre defendemos a importância da denúncia, da ampliação de medidas protetivas e de um maior comprometimento de familiares, amigos e vizinhos”, pontuou Ireuda.